Refinanciamento imobiliário: o que eu preciso para fazer um

 No Financiamento de imóveis

Entenda o que é um refinanciamento imobiliário, quais as condições para obter um e descubra se você tem o perfil

O financiamento de imóveis com recursos da poupança deverá atingir, ao fim deste ano, a marca de R$ 85 bilhões, o que comprova a pujança do mercado de crédito imobiliário no Brasil. Mas a tendência, segundo especialistas, é que esse cenário mude e sofra uma leve desaceleração.

Ciente disso, os bancos concentram esforços em outra modalidade também muito vantajosa: o refinanciamento imobiliário, uma das modalidades de empréstimo que mais cresce no mercado. Este tipo de empréstimo somou, em janeiro deste ano, R$3,84 bilhões. O número representa uma alta de 23,7% com relação ao mesmo mês no passado de acordo com uma das entidades do setor, a Abecip.

Oferecido por várias instituições financeiras desde 2007, as condições do refinanciamento imobiliário variam, mas na média, o proprietário pode refinanciar em torno de 50% da casa em que mora por prazo de até 30 anos e com taxas de juros bem inferiores às do crédito pessoal.

Apesar das vantagens em relação a outros tipos de operações, o empréstimo com garantia de imóvel ainda engatinha no país, ao contrário de outros países como os Estados Unidos, onde o volume de crédito disponível é 35 vezes maior do que no Brasil, mesmo estando o brasileiro duas vezes mais endividado do que o norte-americano.

A resistência do brasileiro ao refinanciamento imobiliário ainda ocorre devido a uma barreira cultural. A ideia de alienar o imóvel como garantia em operações de crédito ainda é vista pelos mutuários como um alto risco. Mas o paradigma é que é normal as pessoas comprometerem sua renda contratando linhas de crédito com altas taxas e prazo mais curto, com muito mais chances de endividamento e risco de perder seu patrimônio.

refinanciamento-imobiliario

Neste momento é importante entender como funciona o processo de um refinanciamento imobiliário para saber as condições necessárias.

O que é um refinanciamento imobiliário

Apesar de ainda não muito divulgado no Brasil, pesquisas feitas nos Estados Unidos indicam que o empréstimo com garantia é uma excelente alternativa para as pessoas levantarem capital e investir em novas possibilidades.

Também conhecido como crédito com imóvel como garantia e home equity, o refinanciamento imobiliário é um tipo de empréstimo o solicitante coloca sua casa, apartamento, terreno ou outro tipo de imóvel (seja ele comercial ou residencial) como garantia de pagamento. Isso faz com que os juros do empréstimo sejam menores. Utilizado para diferentes meios, ao refinanciar um imóvel é possível conseguir dinheiro para quitar dívidas, investir em um negócio, reformar o próprio imóvel ou outro, investir em um curso, entre outras possibilidades.

Análise de crédito

Nesta modalidade de crédito, para dar um imóvel em garantia é preciso que ele esteja no nome do soilicitante. A partir daí a financeira analisa suas condições financeiras para definir o quanto poderá emprestar e o quanto o mutuário poderá comprometer do ser orçamento para pagar as parcelas do empréstimo.

Quais as restrições para realizar um refinanciamento imobiliário?

Ter restrição no CPF ou nome em alguma instituição como SPC/Serasa pode ser um empecilho na hora de conseguir uma liberação de um refinanciamento imobiliário. Em um banco, por exemplo, será muito difícil conseguir qualquer tipo de crédito tendo seu CPF irregular. No entanto, algumas financeiras podem realizar a operação, porém com aumento de juros.

A melhor opção neste caso é buscar regularizar a sua situação de débito e limpar o nome antes de buscar alguma instituição ou empresa para a realização do empréstimo.

Todos os tipos de imóveis podem ser refinanciados?

Normalmente todos os imóveis, até mesmo comerciais, que estejam no nome da pessoa que solicitou o refinanciamento imobiliário são aceitos pelas instituições de crédito como garantia. Já imóveis que sejam registrados como bens de família ou que estejam passando por processo de inventário não costumam ser aceitos como garantia para este tipo de operação.

Existem alguns casos como de imóveis que estão instalados em áreas consideradas de risco, ainda em construção ou passando por reformas que também não são aceitos pela maioria de financeiras e instituições bancárias. É o caso também de imóveis irregulares, são raras as opções hoje no mercado que aceitem um bem sem o Habite-se.

Quanto aos imóveis que ainda estão sendo financiados é possível. Para o refinanciamento do imóvel por meio de um banco, por exemplo, é comum que a instituição exija um bem quitado. Já muitas financeiras costumam aceitar imóveis nessas condições. Nestes casos, um dos procedimentos comuns é da empresa quitar o valor que ainda falta e inserir ele nas parcelas do refinanciamento.

Existe algum tipo de imóvel que não será aceito no refinanciamento?

Sim. Se o imóvel foi comprado com carta de crédito e ainda está como garantia da administradora ele não poderá ser dado como garantia no refinanciamento imobiliário. O mais indicado, nesses casos, é quitar as parcelas que ainda restam do consórcio. Com isso, o imóvel passa para o o nome do proprietário e torna-se apto a ser dado como garantia de um empréstimo na modalidade de refinanciamento imobiliário.

Como é feito o cálculo do valor do empréstimo através do refinanciamento imobiliário?

Normalmente, o valor liberado costuma ser entre 50% e 60% daquele que foi entendido como valor total do bem de garantia. Já o valor das parcelas irá considerar a renda particular do pretendente.

Uma dica importante é que o pretendente busque avaliar o imóvel antes para já ter uma ideia do que será possível ser emprestado pela financeira ou instituição bancária. De qualquer forma, na hora de fazer o empréstimo será feita uma reavaliação para confirmar se o valor apresentado confere com a realidade de mercado.

O refinanciamento imobiliário é uma ótima oportunidade de conseguir crédito com juros bem abaixo dos praticados no mercado e o processo burocrático para ter êxito nessa modalidade de empréstimo não é tão complicado assim.

Para quem está buscando crédito a juros baixos, o refinanciamento imoviliário é a melhor opção disponível.

Em financeiras como a House Credi, por exemplo, é possível refinanciar até 60% do valor do imóvel com juros muito abaixo daqueles praticados no mercado: a partir de 1,14% ao mês.

Recommended Posts
Comments
pingbacks / trackbacks

Leave a Comment

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Não está conseguindo ler? Clique para mudar o texto captcha txt
Atenção! A Housecredi não cobra nenhum valor para liberação do empréstimo. Nunca faça nenhum depósito antecipado ou pague taxa de avalista antes de receber seu empréstimo.
refinanciamento imobiliriofinanciamento para reforma de imovel